Ads Top

Manoel Gomes, o 'Caneta Azul' sofria maus-tratos e foi 'confinado' em quartinho, detalha advogado paraibano; cantor acusa ex-empresários de desvios



O cantor e compositor Manoel Gomes, conhecido pelo hit 'Caneta Azul', entrou em uma batalha judicial contra dois empresários após descobrir, segundo o advogado do artista, um rombo milionário em suas contas. Conforme apurou o ClickPB, o caso veio a tona no início da semana e além dos desvios financeiros estimados - até o momento - em mais de R$ 1 milhão, engloba acusações de maus-tratos ao longo de três anos de carreira do maranhense.


De acordo com o advogado paraibano João Nascimento Jr, que atua na defesa de Manoel Gomes, desde o momento que passou a ter evidência até o fim do ano passado, o cantor era empresariado por Joab Castro. Já ao longo deste período, Gomes afirmou a defesa que sofreria maus tratos, como por exemplo xingamentos e proibição de contato com outras pessoas, além da suspeita de possíveis desvios financeiros. 


"Por mais de três anos, desde quando ele estourou com caneta azul, ele foi empresariado por Joabe" detalhou o advogado. "Desde a proibição de visitar pessoas, de tirar fotos com fãs, falar com familiares", explicou ao ClickPB. Em um dos casos, segundo informado a reportagem, o então empresário teria inclusive arremessado um telefone contra a parede e dito que gostaria de arremessar em Manoel.


No início deste ano, Joabe deixou formalmente de empresariar o artista e o filho, Leonardo Santana, passou a cuidar da carreira do 'Caneta Azul'. "Nos últimos quatro meses ele vinha sendo empresariado por Joabe Leonardo, que é o filho", explicou a defesa de Manoel Gomes. Porém, mesmo com a troca de empresários, determinadas situações de maus-tratos, por exemplo, teriam continuado. 


Uma delas, apontada pela defesa de Manoel, ocorreu na viagem da turnê internacional do artista, nos Estados Unidos. "Ele foi para viagem nos Estados Unidos agora, fazer uma turnê internacional.  A temperatura lá tava abaixo de zero e o empresário que era o Leonardo, que foi o único que o acompanhou na viagem, sequer providenciou roupa de frio para ele. Fazendo com que ele pegasse lá um super resfriado, ficou muito mal de saúde, além de xingamentos. Ele é um senhor, um senhor muito simples, não consegue ter autonomia", disse o advogado João Nascimento Jr em entrevista ao ClickPB. 


Neste episódio, 'Caneta Azul' teria ficado inclusive sem comida. "As vezes ele passava o dia todo sem comer. Porque tava cumprindo agenda porque ele dizia que tava com fome e ele (o empresário) dizia que não podia comer, dizia para cumprir primeiro a agenda e depois comer. São exemplos do que aconteceu com (Manoel) sendo empresariado pelo filho, com o (Joab) Leonardo", disse. 


Morando em quartinho, chega de outros emprésarios e descoberta de desvios


À reportagem do ClickPB, foi detalhado que até pouco tempo Manoel Gomes viveria nos fundos das casas dos respectivos empresários Joabe 'pai' e 'filho'. Os ambientes, de acordo com a defesa, eram insalubres. "A questão de morar em um lugar insalubre, num quartinho, num fundo da casa do Leonardo, sem estrutura nenhuma" explicou a defesa ao ClickPB. 


No início deste ano, quando começou a ser empresariado por Leonardo, outros dois empresários também passaram a gerenciar a carreira de Manoel. Um deles, de nome Manoel Dias, foi convidado pelo próprio Leonardo. Logo, ele começou a perceber, segundo a defesa de Manoel Gomes, diversas irregularidades. 


Pouco tempo depois, um outro empresário, Lineu Júnior também ingressou como parte dos gerenciadores do artista 'Caneta Azul'. Lineu, de acordo com a defesa, trouxe toda uma estrutura para auxiliar a carreira, já que possui know-how na área artística. "O próprio Manoel Gomes chegou para Lineu e para Manoel Dias e disse: 'olha eu não quero mais o Leonardo comigo. Porque assim como o pai, ele também tem praticado irregularidades, tem desviado recursos, tem me tratado mal'", explicou o advogado João Nascimento Jr ao ClickPB.


Desde então, Joab Leonardo, foi afastado da carreira do Canetal Azul. Segundo apurou a reportagem, foi considerado que houve descumprimento as cláusulas do contrato e o empresariado, Manoel Gomes, notificou Leonardo sobre.  "Como ele descumpriu o contrato comprovadamente, e o Manoel Gomes o notificou sobre isso, sobre o descumprimento de diversas cláusulas contratuais, o contrato foi resolvido e não é devido qualquer multa para ele, porque ele descumpriu o contrato".


Cláusulas 'quebradas' e inquérito policial


De acordo com 'Caneta Azul' e sua equipe de defesa, quem manipulava as contas báncárias do artista era o então empresário, Leonardo, que realizaria transferências bancárias para a própria conta pessoal e para a do pai e ex-empresário, Joab. Os pontos de quebra de contrato consideradas no processo são não repasse de valores, não prestação de contas, fechamento de contratos sem a ciências dos outros empresários, sem a anuência e possíveis vantagens para familiares.


Um boletim de ocorrência foi prestado na 96ª Delegacia de Polícia de São Paulo, capital. " Já está sendo encaminhado pela secretaria de Segurança Pública de São Paulo, através de um inquérito policial que corre na 96 DP, que cuida desse tema lá em São Paulo, que é estelionato, apropriação indébita, então isso tá sendo cuidado pela delegacia de polícia e está correndo investigação. Apropriação indébita, estelionato e maus-tratos", explicou o advogado paraibano responsável pela defesa de Manoel Gomes, ao ClickPB. 


CanalPB com ClickPB


Foto: Reprodução Google. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.